Sindicatos promovem caos social e político em Blumenau

Já pensou se sua empresa tomasse uma parte do seu salário? Esse é o dilema dos servidores públicos de Blumenau. Ao longo do governo petista Décio Lima, foram acumuladas perdas que giram em torno de 34%, segundo dados do Sindicato Único dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Blumenau (Sintraseb). Já a prefeitura não reconhece uma perda retilínea, mas realiza estudo sobre o tema.

Toda a reivindicação coletiva é justa. E a greve é um instrumento de cobrar este direito.

Mas o que ninguém conta para os dirigentes do Sintraseb, ou estes se fazem de tolos para proveito político, é que assim como a greve é um direito constitucional, o judiciário é um poder constitucional e que deve ser obedecido. Então porque desrespeitar a população e a justiça mesmo com uma determinação pela volta total do serviço de educação e saúde? Caos social e político.

Prova disso é a ameaça de paralisação no transporte coletivo feita pelo Sindicato dos Empregados das Empresas Permissionárias do Transporte Coletivo Urbano de Blumenau e Gaspar (Sindetranscol). O motivo alegado é que com a greve, seus trabalhadores não tem acesso a saúde e educação. Ironicamente a solução encontrada é impedir que as pessoas cheguem a escola, a unidade de saúde e ao trabalho.

Em um vídeo os líderes do Sindetranscol demonstram uma clara oposição política e de ódio contra a administração do tucano Napoleão Bernardes: “na mentira e no descompromisso público desse governo municipal, que desde o seu início demonstrou um despreparo inimaginável, desde sua eleição”. Já que o ‘patrão’ são as empresas do consórcio Siga, esta é sua função? Seria o sindicato um partido político?

Dois sindicatos*, divulgaram um texto lúcido e inteligente reivindicando os seus direitos: “Consideramos que o direito de greve no âmbito da Administração Pública deve sofrer limitações, na medida em que deve ser confrontado com os princípios da supremacia do interesse público e da continuidade dos serviços públicos, para que as necessidades da coletividade sejam efetivamente garantidas”. Por que um sindicato se posiciona de forma política e outros dois pedem que seus direitos sejam mantidos?

A reivindicação coletiva dos servidores é justa, mas o direito de deixar o filho na escola e de ser atendido em uma unidade de saúde é igualmente justa. Desobedecer uma determinação judicial coloca o Sintraseb e o movimento grevista em um grau de descrédito perante a sociedade. Assim como direitos, a constituição nos cobra deveres.

*Sindicato do Comércio Varejista de Blumenau (Sindilojas), dos Empregados no Comércio de Blumenau e o das Indústrias da Panificação e dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here