Quando a realidade ultrapassa a ficção

Cena do filme A Culpa é das Estrelas (Reprodução)
Cena do filme A Culpa é das Estrelas (Reprodução)

Desde sua estreia no Brasil, A Culpa é das Estrelas vêm despertando o que há de mais dramático em nós. Milhares de resenhas sobre o filme foram feitas, todas falando sobre a mesma coisa: leve lenços, pois você irá chorar. Mas o que ninguém fala, é do quanto essa história é real. Não é um filme com coisas sobrenaturais e situações que nunca aconteceriam nesse planeta. O câncer infelizmente está presente em nossas vidas – e ele é muito real, mais do que gostaríamos.

Isso não é uma resenha e sim, um relato. Não poderia deixar de dar minha opinião sobre o filme. Preconceitos literários à parte, a história é muito bem escrita e nada clichê. Obviamente, essa é minha opinião, mas nunca fui do tipo de pessoa que acha que ler livros populares te torna melhor ou pior que alguém.

Assisti ao filme no último domingo (8), e estava com duas amigas – todas apaixonadas pelo livro. Quando os letreiros subiram, vi uma multidão chorando enquanto eu limpava minhas lágrimas, que caiam de uma forma descontrolada. Quando olhei para o lado, uma moça com um lenço colorido na cabeça e um tubo de oxigênio abaixo do nariz, chorava abraçada com seu namorado. Em meio a essa cena lindíssima, percebi o quanto a vida é frágil e como aquela mulher era forte. Há momentos em que a vida ultrapassa a ficção e essa lição, guardarei comigo para sempre.

Citando o livro/filme: “Esse é o problema da dor. Ela precisa ser sentida.”

Texto escrito por Carolina Ignaczuk, autora do blog “Não nasci para ser lido“.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome