10 de dezembro de 1948: ONU adota a declaração universal dos Direitos Humanos

Nascida do trauma da segunda guerra mundial, a declaração histórica proclamava inequivocamente os direitos inerentes a todos os seres humanos, influenciado pelo Código Napoleônico. A Assembleia das Nações Unidas (ONU) aprovou por 48 votos a favor, com oito abstenções, a Declaração dos Direitos Humanos, elaborada durante os últimos dois anos. O bloco eslavo, a Arábia Saudita e a África do Sul se abstiveram.

A Comissão de Direitos Humanos era composta por 18 membros de vários países e fundos – e foi supervisionada pelo Presidente da Comissão, Eleanor Roosevelt.

O anteprojeto foi escrito pelo primeiro diretor da Divisão de Direitos Humanos, jurista canadense John Peters Humphrey das Nações Unidas -, mas foi o segundo projeto, elaborado pelo francês René Cassin, que foi apresentado à Comissão.

Influenciado pelo Código Napoleônico, Cassin comparou a Declaração ao pórtico de um templo grego: tendo uma fundação (Artigos 1 e 2), etapas (o preâmbulo), quatro colunas (o corpo principal) e um frontão (os três últimos artigos) . Cassin reduziu o esboço de 46 artigos básicos para 44 – e muitas emendas foram sugeridas por conselhos, representantes e estados-membros da ONU durante o processo de dois anos desde o primeiro esboço da Declaração até sua publicação em 1948.

Em 10 de dezembro de 1948, a Declaração Universal dos Direitos Humanos foi adotada pela Assembléia Geral da ONU. Eleanor Roosevelt considerou isso como a grande conquista de sua vida pública. Nunca antes na história da humanidade os direitos humanos foram reconhecidos e promovidos dessa maneira. Em junho de 2018 os EUA abandonaram o Conselho de Direitos Humanos da ONU.

A embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, Nikki Haley, viajou a Washington para anunciar a decisão junto com o chefe do Departamento de Estado, Mike Pompeo. “Damos este passo porque nosso compromisso não nos permite continuar sendo parte de uma organização hipócrita e centrada em si mesma que debocha dos direitos humanos” afirmou Nikki Haley.

Receba notícias do Farol em seu WhatsApp

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome